História da Paróquia

História da Freguesia de Santo André

A ocupação desta freguesia remonta ao tempo do neolítico como atestam os materiais arqueológicos recolhidos no lugar do Areal. A idade do Bronze também deixou vestígios de ocupação nas Casas Novas e Cerradinha, na margem Este da lagoa de Santo André.
Foram identificados na freguesia, pelos arqueólogos Joaquina Soares e Carlos Tavares da Silva, sítios romanos, como Figueirinha e Cascalheira.

A Freguesia de Santo André terá sido criada, ou no reinado de D. João I, ou no reinado de D. Duarte, segundo o Padre António Macedo e Silva, precioso informador sobre o concelho de Santiago do Cacém. Mas segundo outros registos, as freguesias do concelho de Santiago do Cacém já tinham sido criadas no ano de 1528, à excepção de Santo André.

Sabe-se porém, que a dita freguesia já existia no século XVI e que era formada por um grupo de casa que foram sendo construídas à volta da igreja, a qual deu o nome a esta pequena localidade e cuja população vivia da exploração  da   Lagoa,  do  comércio  da  feira anual, que o amanho da terra propiciava, mas, sobretudo da cultura do arroz, iniciada em 1804 e que terminaria em 1974, aquando da criação do Gabinete da Área de Sines.

Com o terramoto de 1755, a freguesia “padeceu muita ruína”, especialmente nas casas dos moradores, na residência do pároco e na própria igreja, que ficou por consertar até princípios do século XIX.

Em 1758, além da aldeia de Santo André, a freguesia compreendia três pequenas aldeias: Azinhal, com 10 vizinhos, Giz, com 20 vizinhos e Brescos com 24 vizinhos.

O nome de Santo André para patrono da igreja que deu nome à freguesia, deve-se ao facto de este santo, irmão de S. Pedro, pescador como ele e cuja vida estava ligada ao mar e à arte piscícola, ter sido o primeiro dos dois irmãos apóstolos a conhecer Cristo.

Na Aldeia de Santo André, que começou por ser apenas um lugar, encontra-se instalada a Sede da Freguesia, à qual pertencem as localidades da Costa de Santo André, Deixa-o-Resto, Azinhal, Giz, Bescos e a cidade de Vila Nova de Santo André, com uma Delegação da Freguesia.

Com a decisão da construção da Plataforma Industrial de Sines, no início dos anos 70 do século XX, e da consequente construção do Centro Urbano de Santo André, hoje cidade de Vila Nova de Santo André, a Freguesia desenvolve-se com dinâmicas empreendedoras, sendo a maior, em termos demográficos, do Município de Santiago do Cacém.

Párocos das Paróquias de Santa Maria e Santo André desde 1911 até hoje.

Párocos de Santo André

Padre José Custódio da Silva - 17/04/1911 a 1927

Padre Manuel Inácio da Cruz – 1927 a 1930

Padre Eduardo Augusto de Campos – 1930 a 1940

Padre Ernesto António Nogueira – 1938 a 1970

Padre José Guerreiro Horta – 1941 a 1950

Padre Hermano Ferreira de Almeida – 1970 a 1971

Padre Ireneu Marques Clemente – 1971 a 1984

Padre Manuel José Malvar Fonseca – 1984 a 1993

Padre Afonso Marques Pinto – 1993 a 1995

Padre Manuel José Malvar Fonseca - 1995 a 2010

Padre António Novais Pereira – 2010 a 2013

Padre Abílio Torcato Valadas Raposo – 2013 a data atual

 

Vicariato de Santa Maria – (criado o Vicariato em 1982)

Padre José Belarmino de Araújo – 1982 – 1984

Padre Manuel José Malvar Fonseca – 1982 a 1993

 

Paróquia de Santa Maria – (criada como Paróquia no dia 8 de Dezembro de 1994)

Padre Afonso Marques Pinto – 1993 a 1995

Padre Manuel José Malvar Fonseca - 1995 a 2010

Padre António Novais Pereira – 2010 a 2013

Padre Abílio Torcato Valadas Raposo – 2013 a data atual